quarta-feira, setembro 24

Tartines de Figos Assados com Requeijao de Amêndoa :: Rosted Figs Tartines with Almond Cottage Cheese

Please scroll down for English version

Os meses vão passando e a minha grande odisseia lá vai avançando passinho a passinho... E agora que já lhe começo a vislumbrar o fim, acho que já vos consigo falar de tudo o que se andou a passar por estes lados. Preparem-se que vêm aí queixinhas a sério!

Dizer que tem sido intenso é pouco... Picos de inspiração seguidos de autênticos desertos criativos e um turbilhão imenso de emoções à mistura com a sua quota-parte de lágrimas. Caí no enorme erro de me comparar com as pessoas que admiro e a minha cabeça enchia-se de dúvidas e perguntas... De repente tinha todas as minhas inseguranças ao rubro e às vezes gritavam tão alto que me deixavam completamente paralisada. Muitas noites acordada afundada numa sensação de quanto mais faço mais tenho para fazer e a pensar que se calhar não sou boa o suficiente, que nunca o vou ser, que se calhar as pessoas estão à espera de mais de mim e o livro vai ser uma grande desilusão, a tentar lidar com a vergonha de um dead line há muito falhado e o seu respectivo mas-se-os-outros-conseguem-porque-é que-eu-não-consigo sempre a ecoar lá do fundo. E a maior pergunta de todas... Será que é mesmo isto que eu quero? É que isto de gostar de cozinhar e partilhar o que vou aprendendo a passar a ser oficialmente uma autora de receitas vai um grande caminho e essa responsabilidade deixa-me completamente aterrada. Eu sei, muitos devem estar a pensar... É só um livro de receitas. Mas para mim ganhou um proporção gigantesca. Sufocante mesmo.

Depois vem a parte prática da coisa. As compras sem fim, subir 4 andares com as compras sem fim, pensar nas receitas, escrever as receitas, testar as receitas e corrigir as receitas, a cozinha sempre em pantanas, a loiça para lavar, a loiça senhores, ter o resto do meu T0 bem pequenino transformado num estúdio permanente e andar a tropeçar nos props e cenários espalhados por todo o lado que-não-vale-a-pena arrumar-para-estar-a-voltar-a-tirar, as decisões, as indecisões e e os bloqueios, as fotografias e as suas milhentas repetições porque não estão mesmo, mesmo como eu quero, as crises de identidade, os dias muitos escuros, os dias com demasiada luz e os dias que passam à velocidade da luz, as horas em frente ao monitor para conseguir escolher uma única foto e se-calhar-ainda-vou-repetir-mais-uma-vez-esta-receita... Uff! Correr por gosto cansa, e muito! Tanto que às vezes cheguei a pensar que se calhar não gostava assim tanto.

Mas depois começo a vê-lo a ganhar forma e e lembro-me porque escolhi uma vida entre os tachos. Apesar de saber que nunca o vou achar perfeito sinto-me a encher de um orgulho vaidoso, aquele que vem quando damos conta que estamos a conquistar o maior desafio das nossas vidas. Mesmo que super atrasado. Mesmo com todos os momentos difíceis, dúvidas e frustrações. Não sei bem o que vem a seguir, mas essa sensação vai-me acompanhar para sempre. Também ainda não sei quando vai ser o dia em que vai estar finalmente pronto, mas já faltou mais, muito mais. Estou a fazer tudo para que seja ainda este ano, por isso não desistam de mim, não?

E pronto, é isto. Queixinhas feitas. Ainda está alguém desse lado?

Para compensar e para levantar um pouqinho mais o véu do que aí vem, fica mais uma das receitas do livro. Desta vez umas Tartines de Figos Assados com Requeijao de Amêndoa. Feitas com os reis da estação, assados com um delicioso molho balsâmico, e um requeijão vegan e raw, que aproveita as sobras do leite de amêndoa. São perfeitas para receber os amigos num fim de tarde, mas por cá até já foram pequeno almoço... Mas isso fica aqui só entre nós, combinado?

Obrigada sempre por tantas mensagens de apoio e carinho.

---

Tartines de Figos Assados com Requeijão de Amêndoa
V
4 Tartines

Ingredientes

Para os Figos Assados
6 a 8 Figos
1 colher de sopa de Azeite
1 colher de sopa de Vinagre Balsâmico
1 colher de sopa de Mel ou Xarope de Ácer
1/2 colher de sopa de Rosmaninho fresco

Para o Requeijão de Amêndoa (V / R)
200 g de Polpa de Amêndoa, sobras do leite daqui
1 Alho
2 colheres de chá de Levedura de Cerveja em pó, opcional
1 colher de sopa de Sumo de Limão
2 colheres de sopa de Azeite
2 colheres de sopa de Água
Sal Marinho Integral
Pimenta Preta moída na hora

Para Servir
4 fatias de Pão rústico
Micro Vegetais
Rosmaninho
Pistácios grosseiramente picados

Preparação

Para os Figos Assados
Pré aquecer o forno a 180º.
Lavar os figos e cortá-los em quartos.
Numa tacinha misturar o azeite com o vinagre balsâmico e o mel.
Verter sobre os figos, reservando um pouco para servir, e salpicar com o rosmaninho.
Levar ao forno por 15 minutos até caramelizar.

Para o Requeijão de Amêndoa (V / R)
Colocar todos os ingredientes, excepto a água e os temperos, num processador de alimentos e misturar bem.
Com o processador sempre ligado acrescentar a água aos poucos até atingir a consistência desejada.
Temperar com um pouco de sal e pimenta e misturar.
Pode ser guardado num frasco de vidro hermético no frigorífico entre 3 a 4 dias.

Para Servir
Tostar as fatias de pão e barrar  com o requeijão de amêndoa.
Distribuir os figos assados pelas tartines.

Regar com o molho balsâmico e salpicar com pistácios e os micro vegetais.

---

The months go by and my great odyssey advances baby step by baby step... I'm finally seeing the end of it so I think it's time I tell you all about everything that has happened around here. Warning, some real whining ahead!

Saying it has been intense is selling it short... Peaks of inspiration followed by creative deserts mixed with an immense whirlwind of emotions with its fare share of tears. I fell in the huge mistake of comparing myself to others and my mind  filled up with doubts and questions... Suddenly all my insecurities where up to the roof and sometimes they were so loud that I felt completely paralyzed. Many nights awakened sunk with the overwhelming sense that the more I do the more I have to do and thinking that maybe I'm just not good enough, that I'll never be, that maybe people are expecting more from me and the book will be a big disappointment, trying to deal with the shame of a dead line long over due and it's respective but-if-others-can-do-it-why-can't-I echoing in the silence. And the biggest question of them all... Is this what I really want? I mean, from liking to cook and sharing what I learn to becoming an officially recipe author goes a long way and this responsibility completely grounds me. I know, many must be thinking ... It's just a cookbook. But for me it gained a massive proportion. Massive.

Then comes the practical aspects of it. The endless shopping, climbing my 4 floors with the endless shopping, thinking about the recipes, writing the recipes, testing the recipes and correcting the recipes, my kitchen always in a semi chaos state, the dishes to wash, the dishes lord, having the rest of my petite "open space" transformed into a permanent photograph studio and stumble all over the props and scenarios scattered everywhere because-there's-really-no-point-in-storing-them-because-I'm-always-using-them, the decisions, the indecisions and the creative blocks, the photographs and their thousands repetitions because they are not really, really like I want them, the identity crises, the dark days, the days with too much light and the days that pass by the speed of light, the hours in front of my computer trying to one single photo and I-might-just-gonna-repeat-this-recipe-one-more-time... Uff! Sometimes I got so tired that I even doubted my love for cooking.

But then comes that moment, when I see the book coming to life and remember why I choose to live among my pots. Despite knowing that I will never find it perfect I feel this pride filling my soul, the one that comes when you realize that you are conquering the biggest challenge of your lives. Even if super over due. Even with all the difficult moments, doubts and frustrations. I'm not sure what comes next, but that feeling will follow me forever. I also still don't know when it will finally be ready, that day will come. I'm doing everything I can so that it comes still this year, so don't give up on me!

And that's it. Whining done. Is anyone still there?

To make it up to you and lifting the veil a bit more of what's coming, here's one more recipe from the book, these Rosted Figs Tartines with Almond Cottage Cheese. Made with the kings of the season, baked with a delicious balsamic sauce, and a vegan and raw cottage chees that uses the leftover pulp of homemade almond milk. They are perfect share with friends in one of this fall evenings, but around here they have even been breakfast ... But that's just between us here, deal? 

Thank you always for so many messages of support and affection.

---

Rosted Figs Tartines with Almond Cottage Cheese
4 Tartines 

Ingredients 

Roasted Figs 
6 to 8 Figs 
1 tbsp olive oil 
1 tbsp of Balsamic Vinegar 
1 tbsp of Honey or Maple Syrup 
1/2 tbsp fresh Rosemary 

Almond Cottage Cheese (V / R) 
200 g Almond pulp, leftover milk 
1 Garlic Clove
2 tsp of Nutricional Yeast, optional 
1 tbsp of Lemon Juice 
2 tbsp olive oil 
2 tbsp water 
Sea Salt 
Freshly ground black pepper 

To Serve 
4 slices of Bread 
Micro Greens
Rosemary
Coarsely chopped Pistachios 

Directions

Roasted Figs
Preheat oven to 180 degrees. 
Wash the figs and cut them into quarters. 
In bowl mix the olive oil with the balsamic vinegar and honey. 
Pour over the figs, reserving some to serve, and sprinkle with rosemary. 
Bake for 15 minutes until caramelized. 

Almond Cottage Cheese (V / R) 
Place all ingredients, except water and seasonings in a food processor and blend.
With the food processor running, add water gradually until it reaches the desired consistency. 
Season with salt and pepper and mix again. 
Can be stored in an airtight glass jar in the refrigerator between 3-4 days. 

To Serve 
Toast the slices of bread and spread with almond cottage cheese. 
Distribute the roasted figs on the tartines. 
Drizzle with the rest of the balsamic sauce and sprinkle with pistachios and micro greens.


quinta-feira, maio 22

Tarteletes de Mousse de Chocolate e Abacate :: Chocolate Avocado Mousse Tartlets

Please scroll down for English version

1, 2, 3 Teste... 1, 2, 3 Teste! Alguém desse lado? 

É difícil de acreditar que já se passaram quase 6 meses desde a última vez que me sentei por aqui. 6 meses de trabalho intenso completamente embrenhada nesta imensa odisseia que é escrever-fotografar-produzir um livro de receitas completamente sozinha! Na verdade andava a preparar um post de regresso com um sneak peek do livro e onde vos conto tudo sobre os meus últimos tempos. Com algumas queixinhas pelo meio, claro... É que isto de pensar em comida literalmente 24 horas por dia, todos os dias, nem sempre é fácil e afinal quem corre por gosto também se cansa! Mas isso vai ter de ficar para uma outra vez... Agora há promessas a cumprir e há por aqui umas certas tarteletes tão vaidosas que não aguentaram mais e tiveram de vir dar um ar da sua graça! 

Estas Tarteletes de Mousse de Chocolate e Abacate são uma das receitas do livro, e foram a primeira coisa em que pensei quando recebi o convite para participar numa reportagem sobre alimentação vegetariana e natural. Toda a gente sabe o meu amor por sobremesas mega saudáveis e achei que estas tarteletes eram um exemplo perfeito para mostrar que não precisamos de deixar de ser gulosos ao mesmo tempo que nutrimos o nosso corpo.

São totalmente vegan e as bases têm uma versão de ir ao forno e outra completamente raw, com todos os nutrientes e enzimas a estalar de energia. A mousse... Bom, a mousse é qualquer coisa. Incrivelmente macia, intensa e ao mesmo tempo leve... Por momentos não parece sequer legal. Unh-unh... É assim tão boa!

Mas o melhor de tudo é que alia os super poderes do cacau cru com os do abacate, numa combinação deliciosa de anti oxidantes com uma das melhores gorduras do mundo. Sobre o cacau já vos contei tudo aqui  por isso hoje os 15 minutos são do incrível abacate. Nesta era do Light e do 0% a palavra gordura ganhou má fama, mas é importante perceber que existem diferenças fundamentais nos tipos de gorduras. As gorduras más, coisas artificias como gorduras trans ou hidrogenadas, e as boas, as  mono ou poli saturadas, essenciais para o nosso organismo. As gorduras boas são uma  fonte importante de energia, vitaminas A,D, E e K e têm um papel fundamental na absorção de outros nutrientes, como vitaminas lipo solúveis e muitos anti oxidantes.

O abacate é extremamente rico em gorduras monossaturadas, o mesmo tipo de gordura do azeite e dos frutos secos. Este tipo de gordura ajuda a reduzir o colesterol total e o mau colesterol, o LDL, aquele que se acumula nas paredes arteriais, enquanto mantêm os níveis do bom colesterol, o HDL, que transporta o colesterol das paredes arteriais até o fígado, para ser eliminado. O abacate é também uma óptima fonte de ácidos gordos Ómega 3, gorduras polinsaturadas, que o nosso corpo não consegue produzir e precisa obrigatoriamente de ir buscar à alimentação e que são fundamentais para a saúde cardiovascular e manutenção de uma boa função cerebral. O Ómega 3 está também naturalmente presente em muitas fontes vegetais como nas sementes de linhaça, chia e cânhamo e nos frutos secos, no entanto a sua absorção não é tão fácil como a proveniente de fontes animais (peixes gordos como o salmão, sardinhas e cavala) daí ser aconselhado aos vegetarianos e vegans terem especial atenção no consumo deste ácido gordo. Para ajudar a absorção de Ómega 3 vegetal é ainda recomendada uma redução do consumo de Ómega 6, presente na maior parte dos óleos vegetais como o girassol, soja e milho.

Et voilá... Uma sobremesa carregada de coisas boas a mostrar que a gulodice e a nutrição podem e devem andar de mãos dadas! Quem é que já está a correr para a cozinha para ir fazer estas pequenas maravilhas?

Agora, com licença, vou voltar à minha labuta e terminar este livro... Não se preocupem, o sneak peek não ficou esquecido!

See you later, my delicious alligators!! ;)

---

Testing 1, 2, 3... Testing! Anybody out there?

It's hard to believe that it's been almost 6 months since the last time I sat here. 6 months of intense work completely caught up in this great odyssey that is to write-shoot-produce a cookbook completely alone! I was actually preparing a comeback post with a sneak peek of the book, where I tell all about my recent days. With some little whining in the middle, of course... You know, thinking about food literally 24 hours a day, every day, is not always fun and games, and I discovered that you do get tired even when you're doing something you love!  
But it will have to stay for another time ... Now I have promises to keep and I heard about some tartlets so, so proud that they couldn't wait any longer!

These Chocolate Avocado Mousse Tartlets are one of the recipes in the book, and they were the first thing I thought when I received the invitation to participate in a TV piece on vegetarian and natural food . Everyone knows my love for mega healthy desserts and I found that these tartlets were a perfect example to show that we need to ignore our sweet tooth while we nourish our body .

They are totally vegan and the crusts have one baked version and one completely raw, with all the nutrients and enzymes bursting with energy. The mousse ... Well, the mousse is really something. Incredibly smooth, intense and light at the same time... You'll doubt if it is even legal! Unh - unh... It's THAT good!

But the best of it all, is that it combines the super powers of raw cacao with avocado, a delicious combination of anti oxidants with one of the best fats in the world. I already told you all about the cacao here, so today the 15 minutes go to the incredible avocado. In this era of Light and 0 %  the word fat gained a bad reputation but it is important to realize that there are fundamental differences in the kind of fats we can get. The bad ones, artificial things like trans or hydrogenated fats, and the good ones, mono or poly unsaturated, that are essential for our body. The good fats are an important source of energy, vitamins A, D , E and K and have a key role in the absorption of other nutrients such as  lipo soluble vitamins and many anti oxidants .

Avocados are extremely rich in monounsaturated fats , the same type of fat present in olive oil and nuts. This type of fat helps reduce total cholesterol and the bad cholesterol, LDL, the one that builds up on arterial walls, while maintaining the levels of good cholesterol, HDL, which transports cholesterol from the arterial wall to the liver for elimination. Avocados are also a great source of Omega 3 fatty acids, polyunsaturated fats that our body can not produce and must get from food and that are key to cardiovascular health and maintaining a good brain function. Omega 3 is also naturally present in many plant sources and in flax, chia and hemp seed, in nuts and some algae, but its absorption is not as easy as when it comes from animal sources ( fatty fish such as salmon , sardines and mackerel ) so its highly advised to vegetarians and vegans have to have special attention in the consumption of this fatty acid. To an optimal absorption of vegetable Omega 3 is recommended a reduction in the consumption of Omega 6, present in most vegetal oils such as sunflower, soy and corn.


Et voilá... A dessert loaded with good things to show that delicious treets and nutrition can and should go hand by hand ! Who's running to the kitchen to make these little wonders ? :)

Now, excuse me, I have a book to finish ... Do not worry, the sneak peek has not been forgotten! 

See you later my delicious alligators!! ;)

---

Tarteletes de Mousse de Chocolate e Abacate
SG / V / R
4 tartes


Ingredientes

Para as bases

Versão Forno
175 g de Coco ralado
250 g de Cajus naturais
1 1/2 colher de sopa de Óleo de Coco
1 1/2 colher de sopa de Cacau em pó
2 colheres de sopa de Farinha de Trigo Sarraceno
2 colheres de sopa de Agave, ou outro adoçante líquido natural
1/2 colher de chá de Canela em pó
1 colher de sopa de Água Fria
1 pitada de Sal Marinho Integral

Versão Raw
150 g de Sementes de Girassol, demolhadas por 8 horas
150 g de Coco ralado
100 g de Avelãs, demolhadas por 8 horas
1 1/2 colher de sopa de Cacau Cru em pó
1 1/2 colher de sopa de Óleo de Coco
4 Tâmaras Medjool, sem caroços
1/2 colher de chá de Canela em pó
1 colher de sopa de Água Fria
1 pitada de Sal Marinho Integral

Para a mousse
2 Abacates médios
4 colheres de sopa de Cacau Cru em pó
50 g de Pepitas de Cacau Cru, derretidas em banho maria
3 colheres de Sopa de Agave, ou outro adoçante líquido natural
3 vagens de Cardamomo
1/2 colher de chá de Pasta de Baunilha Natural
1 pitada de Sal Marinho Integral

Para servir
Pistácios ligeiramente tostados
Coco em lascas tostado


Preparação

Para as bases

Versão Forno
Pré aquecer o forno a 180º  e untar 4 forminhas de tarteletes de cerca de 12 cm de diâmetro.
Colocar o coco ralado e os cajus num processador de alimentos e triturar até se obter uma farinha grossa.
Acrescentar o cacau, a farinha, a canela e o sal e moer mais uns minutos.
Juntar o óleo de coco, o agave e a água e continuar a misturar até se formar uma bola.
Dividir em 4 bolinhas iguais, forrar as formas uniformemente com a massa e se possível deixar repousar por 15 minutos no frigorífico.
Levar ao forno entre 15 a 20 minutos até que fiquem douradas.
Retirar e deixar arrefecer por uns minutos antes de desenformar.
Deixar arrefecer completamente para rechear com a mousse.

Versão Raw
Untar 4 forminhas de tarteletes de cerca de 12 cm de diâmetro.
Colocar as sementes de girassol, o coco ralado e as avelãs no processador de alimentos e triturar até se obter uma farinha grossa.
Acrescentar o cacau, as tâmaras, a canela e o sal e misturar até encorpar totalmente.
Juntar o óleo de coco e a água e voltar e continuar a misturar até se formar uma bola.
Dividir em 4 bolinhas iguais, forrar as formas uniformemente com a massa e reservar no frigorífico por 1 hora ou no congelador por 30 minutos.Para servir desenformar cuidadosamente antes de rechear com a mousse.

Para a mousse
Cortar os abacates ao meio, com uma colher retirar a polpa.
Abrir as vagens de cardamomo, retirar as sementes e esmagar num almofariz.
Colocar todos os ingredientes num processador de alimentos e misturar até se obter um creme macio.


Rechear as tarteletes com uma dose generosa de mousse e salpicar com os pistácios e o coco grosseiramente picados.

---

Chocolate Avocado Mousse Tartlets
GF / V / R
4 tarts


Crust

Baked version
175 g grated Coconut
250 g raw Cashews
1 1/2 tbsp  Coconut Oil
1 1/2 tbsp Cacao Powder
2 tbsp Buckwheat Flour
2 tbsp Agave or other liquid natural sweetener
1/2 tsp Cinnamon powder
1 tbsp Cold Water
1 pinch of Sea Salt

Raw version
150 g Sunflower seeds , soaked for 8 hours
150 g grated Coconut
100 g Hazelnuts , soaked for 8 hours
1 1/2 tbsp Raw Cacao Powder
1 1/2 tbsp Coconut Oil
4 Medjool dates , pitted
1/2 tsp Cinnamon powder
1  tbsp Cold Water
1 pinch of Sea Salt 

Mousse
2 medium Avocados
4 tbsp Raw Cacao Powder
50 g Raw Cacao Nibs , melted in bain marie
3 tbsp Agave or other liquid natural sweetener
3 Cardamom pods
1/2 tsp Vanilla natural paste
1 pinch of Sea Salt 

To serve
Slightly toasted pistachios
Toasted coconut flakes


Directions

Crust

Baked version
Preheat the oven to 180º and grease 4 tartlet pans with 12 cm.
Place the grated coconut and cashews in a food processor and grind until a coarse flour.
Add cacao, flour, cinnamon and salt and grind a few more minutes.
Add the coconut oil , agave and water and continue mixing until it forms a ball.
Divide the dough into 4 equal balls, line the pans evenly with the dough and if possible let it rest for 15 minutes in the refrigerator.
Bake for 15 to 20 minutes until golden .
Remove and allow to cool for a few minutes before removing the tarts from the pans.
Let cool completely to fill with mousse.

Raw version
Grease 4 tartlet pans with 12 cm..
Place sunflower seeds, grated coconut and hazelnuts in a food processor and grind until a coarse flour.
Add cacao, dates ,cinnamon and salt and and grind a few more minutes.
Add the coconut oil, and water and continue mixing until it forms a ball.
Divide the dough into 4 equal balls, line the pans evenly with the dough and reserve in the refrigerator for 1 hour or in the freezer for 30 minutes.
To serve, remove the tarts from the pans carefully before filling with mousse.


Mousse
Cut the avocados in half, and with a spoon remove the pulp .
Open the cardamom pods, remove the seeds and crush in a mortar .
Place all ingredients in a food processor and mix until a smooth cream.


Fill the tartlets with a generous dose of mousse and sprinkle with pistachios and coconut coarsely chopped.



Fontes nutricionais aqui :: Nutritional fonts here


terça-feira, dezembro 31

Rolinhos de Espelta, Chocolate e Avelãs :: Chocolate, Hazelnuts Swirl Spelt Buns

Please scroll down for English version

Estas palavras chegam-vos da bonita e gélida Praga. Lá fora as ruas fervilham com gentes de todo o Mundo, todos a procura de um canto quentinho para esperar o momento em que se trocam os anos. E enquanto as horas passam, vou-me enchendo da nostalgia própria deste dia... Foi mais um ano intenso, recheado de coisas muito boas, desafios e alguns momentos mais difíceis. Tudo encadeado para me fazer chegar aqui, precisamente onde devo estar, pronta para um novo ano que vai ser sem dúvida o ano mais diferente e exigente de toda a minha vida... Daqui a precisamente meio ano o meu primeiro livro de receitas vai estar nas bancas!! Uma ideia que tanto me enche de milhares de borboletas tontas como me deixa ligeiramente em pânico. Estou prestes a realizar um sonho que nem sabia que tinha e, apesar de ficar a rebentar de orgulho é impossível não ficar assustada com a responsabilidade que um livro traz. Uff! Esperam-me meses de muito trabalho e no fim espero ter conseguido um livro que vos encha de vontade de cozinhar e conhecer novos sabores! Espero que gostem tanto dele como eu!

Já estou a sentir uma lagriminha a querer espreitar, sinal que está na altura de vos falar estes Rolinhos de Espelta, Chocolate e Avelãs. Ricos e intensos, perfeitos para deixar este ano num tom bem docinho ou para o primeiro pequeno almoço de um novo ano, cheio de promessas e sonhos!

Agora, com licença, vou ali aquecer-me com um vinho quente e especiarias enquanto como umas castanhas assadas! Vemo-nos em 2014!

Šťastný nový rok! 




These words come to you from the beautiful and icy Prague. Outside, the streets are teeming with people from all over the world, all looking for a warm place to wait for the moment when the one year ends and another begins. And as the hours pass, I can't help to feel the nostalgia of this day... It was one more intense year, filled of very good things, challenges and some difficult moments. All linked to make me get here, precisely where I must be, ready for a new year that will be undoubtedly the most different and challenging year of my entire life year... In precisely six months from today my first cookbook will be on the stands! An idea that fills me with a thousand of ecstatic butterflies at the same time that it pushes my inner panic alarm! I am about to fulfill a dream that I never knew I had, and although being bursting with pride it's impossible not to feel frightened by the responsibility that a book brings. Uff! Expect me months of hard work, and in the end I hope I'll give you a that will make you want to try new flavours in the kitchen! I hope you will like it as much as I do!

I can already feel a little tear peeking, sign that it's time to talk to you about these Chocolate, Hazelnuts Swirl Spelt Buns. Rich and intense, perfect to say goodbye to this year with a sweet note or for the first breakfast of the new year, filled of promises and new dreams!

Now, excuse me, as I
go to the Old Town Square and warm myself with some mulled wine and roasted chestnuts wine! See you in 2014!

Šťastný nový rok! 



Rolinhos de Espelta, Chocolate e Avelãs

Ingredientes (10 a 12 rolinhos)

Massa
300 g de Farinha de Espelta Integral
1 colher de sopa de Levedura Seca
1 Banana esmagada
3 colheres de sopa de Óleo de Coco
4 colheres de sopa de Geleia de Arroz (podem substituir por metade de outro adoçante líquido como Mel, Agave ou Ácer)
80 ml de Leite de Espelta (ou outro à escolha)
1 colher de chá de Sal Marinho
1 colher de chá de Canela em pó
1 colheres de chá de Extracto de Baunilha

Recheio
3 colheres de sopa de Óleo de Coco, amolecido
50 g de Açúcar de Coco
200 g de Chocolate de Cozinha 70% Cacau
50 g de Avelãs tostadas
1 colher de chá de Extracto de Baunilha
1 pitada de Sal Marinho

Topping
2 colheres de sopa de Geleia de Arroz (ou metade de outro adoçante líquido)
1 mão cheia de Avelãs tostadas


Preparação

Massa
Numa taça grande misturar a farinha com o sal e a canela.
Num tachinho colocar a geleia de arroz, o óleo de coco, a baunilha e a banana e aquecer ligeiramente. Se ficar muito quente a levedura morre.
Acrescentar a levedura, misturar e deixar repousar por 5 minutos.
Juntar o leite e misturar lentamente com a farinha.
Amassar por 5 a 10 minutos até que a massa fique bem macia e elástica. Se estiver muito seca, juntar mais leite, se estiver muito húmida juntar mais farinha.
Formar uma bola com a massa e tapar a taça com película e um pano e deixar repousar num sítio morno entre 1 a 2 horas, até que a massa duplique.

Recheio
Picar grosseiramente o chocolate e colocar num processador de alimentos.
Acrescentar o açúcar e o sal e misturar até que o chocolate fique quase em pó.
Juntar o óleo de coco e a baunilha e misturar bem.

Quando a massa tiver duplicado de tamanho, passá-la para uma superfície enfarinhada e amassá-la gentilmente.
Deixar descansar 5 minutos e estender de maneira a formar um rectângulo grande (mais ou menos 30 por 50 cm).
Entretanto untar uma forma de muffins com óleo de coco.
Espalhar o recheio de chocolate pela massa e salpicar com as avelãs picadas grosseiramente.
Enrolar a massa pelo lado mais curto apertando bem.
Cortar fatias com mais ou menos 2 cm e colocá-las na forma dos muffins.
Tapar com película e deixar descansar mais 30 minutos.
Entretanto pré aquecer o forno a 180º.
Depois dos 30 minutos levar ao forno por 20 a 25 minutos até que fiquem bem douradinhos.
Deixar arrefecer uns minutos, retirar da forma e enquanto ainda estão mornos pincelar com a geleia de arroz e salpicar mais avelãs picadas.


Chocolate, Hazelnuts Swirl Spelt Buns

Ingredients ( 10 to 12 rolls )

Dough
300g Whole Spelt Flour
1 tablespoon Dry Yeast
1 Banana, mashed
3 tbsp Coconut Oil
4 tbsp Rice Syrup (or half of any other liquid sweetener like Honey, Agave or Maple Syrup)
80ml ​​Spelt Milk (or other of your choice)
1 tsp Sea Salt 
1 tsp Cinnamon
1 tsp Vanilla Extract

Filling
3 tbsp Coconut Oil, softened
50g Coconut Sugar2
00g Culinary Chocolate 70% Cocoa
50g toasted Hazelnuts
1 tsp Vanilla Extract
1 pinch Sea Salt 

Topping
2 tbsp Rice Syrup (or half of any other liquid sweetener)
1 handful of Toasted Hazelnuts


Directions


Dough
In a large bowl mix the flour with salt and cinnamon .
Gently heat the rice syrup, coconut oil, vanilla and banana. 
Be careful, if it gets too hot the yeast dies.
Add the yeast, mix and let it rest for 5 minutes.
Add milk and mix slowly with flour.Knead for 5-10 minutes until the dough is soft and elastic. If you find it too dry, add more milk, if it is too wet add more flour.
Form a ball with the dough and cover the bowl with plastic wrap and a cloth.
Let it rest in a warm place for 1 to 2 hours, until the dough doubles in size.

Filling
Coarsely chop the chocolate and place it in a food processor.
Add sugar and salt and mix until the chocolate is almost powder.
Add coconut oil and vanilla and mix well . 

When the dough has doubled in size, pass it on to a floured surface and gently knead it.
Leave to rest for 5 minutes and then roll it into a large rectangle (about 30 by 50 cm).
Meanwhile grease a muffin tin with coconut oil.
Spread the chocolate filling with the mixture and sprinkle with coarsely chopped hazelnuts.
Roll the dough by the short side, forming a tight log
Cut slices with about 2 cm and put them in the muffin tin.
Cover with plastic wrap and let rest 30 minutes.
Meanwhile preheat the oven to 180 º.
After the 30 minute rest bake the buns for 20 to 25 minutes, until golden.
Allow to cool a few minutes, remove the form and while still warm brush with rice syrup and sprinkle over with chopped hazelnuts .



Receita adaptada daqui e daqui  Recipe adapted from here and here

sexta-feira, dezembro 13

Golden Morning Rituals!

Please scroll down for English version

Estou finalmente de volta!! 2 meses que passaram à velocidade da luz, com dias de muito trabalho que me afastaram destas paragens e me deixaram a morrer de saudades! E parece-me que vêm aí muitas mais paragens destas... Prometem que ficam aí desse lado?

E para o regresso a seguir a este silêncio todo não há nada melhor do que o meu prometido ritual matinal! A primeira coisa que fazemos de manhã é super importante para o nosso organismo. Afinal enquanto dormíamos ele passou a noite em longos processos de limpeza e desintoxicação e o nosso papel é ajudá-lo a deitar fora todas as toxinas e impurezas que ele limpou para nós. Conseguem imaginar o que ele pensa quando o encharcamos logo com uma caneca de café e/ou cereais mega processados e açucarados?

Na medicina Ayurvédica beber água morna com limão em jejum é uma prática usada desde sempre como uma maneira muito simples e eficaz de desintoxicar o corpo e era um hábito que já há muito acompanhava as minhas manhãs. Depois, veio o primeiro workshop que fiz com a Sarah Britton, onde aprendi que as especiarias são muito mais do que temperos, e desde esse dia que o meu ritual ganhou mais uns protagonistas como  a Curcuma, o Gengibre e a Cayenna!! Agora é um verdadeiro Elixir Dourado (nome da Sarah Britton) cheio de super poderes que me ajuda a começar o dia da melhor maneira.

Podia ficar aqui uma eternidade a falar dos benefícios deste simples copinho de água mas resolvi salientar só os principais e apresentar-vos as super estrelas uma a uma lá mais em baixo:


1 Ajuda a equilibrar os níveis de pH do organismo. Apesar do seu sabor extremamente ácido os limões são dos alimentos mais alcalinizantes para o nosso corpo e a nossa saúde está directamente relacionada com o nível do pH do organismo, já que doenças como o cancro e processos inflamatórios como artrite e ácido úrico não conseguem sobreviver num meio alcalino. Quem se lembra daquelas barrinhas para medir o pH? pH é a abreviatura para Potencial Hidrogeniônico e consiste num índice que indica a acidez, neutralidade ou alcalinidade de um meio qualquer. As substâncias que possuem valores de pH 0 a 6, são consideradas ácidas, valores em torno de 7 são neutras e valores entre 8 e 14 são consideradas alcalinas. O ideal para o nosso organismo será mantê-lo do lado mais alcalino entre 7.30 - 7.45. Todos os alimentos que ingerimos têm um impacto nos nossos níveis de pH e um dia destes faço um artigo bem mais completo sobre este assunto! Promessa de Miss Vite!

2 Estimula o sistema imunitário e aumenta o metabolismo. Para além das suas propriedades alcalinizantes os limões são ricos em Vitamina C e Potássio enquanto que as especiarias aumentam a temperatura do corpo ajudando as funções sudoríficas e descongestionantes. A vitamina C é também essencial para a absorção do ferro que desempenha um papel muito importante na força do nosso sistema imunitário.

3 Melhora o sistema digestivo. A água morna estimula os movimentos intestinais, o limão e as especiarias ajudam a libertar as toxinas do tracto digestivo e promovem a secreção dos sucos gástricos

4 Depurativo natural e suave. Para além de ter um papel diurético a combinação da água morna com o limão e as especiarias ajuda a limpar orgãos como o fígado e os rins cuja principal função é purificar o nosso sangue.

5 Limpa e clarifica a pele. A vitamina C, bem como todos os outros antioxidantes presentes nas especiarias, ajuda a diminuir rugas e manchas, combatendo os danos dos radicais livres. A vitamina C é vital para uma pele saudável e brilhante. Além disso tudo os que nos ajudar a desintoxicar o sangue vai contribuir para uma pele mais bonita.

6 É extremamente hidratante. Durante as longas horas de sono o nosso corpo passou muito tempo sem nenhum tipo de hidratação, por isso é muito importante que a primeira coisa a fazer seja beber água e este elixir tem a fórmula perfeita para combater a desidratação, combater a fadiga das glândulas supra-renais e estimular o sistema linfático. Quando o nosso organismo está desidratado não consegue realizar as suas funções mais básica os que leva a acumulação de toxinas, stress, prisão de ventre... A nossas glândulas supra-renais situam-se mesmo por cima dos rins e juntamente com a tiróide ajudam-nos a criar energia e são responsáveis pela libertação da hormona que regula os nossos níveis de água e de sódio ajudando-nos a manter a hidratação. Estas pequenas glândulas são também responsáveis por controlar a nossa resposta ao stress, por isso convém tratá-las muito bem!


As super estrelas!

Curcuma faz parte da família do gengibre e o seu pó amarelo é largamente usado como especiaria na culinária asiática. Tem altas concentrações de uma substância chamada curcumina, que tem muitas propriedades anti-inflamatórias, anti-oxidantes e anti-bacterianas. É chamada a especiaria do anti envelhecimento e as suas propriedades são reconhecidos pela medicina chinesa e Ayurvédica há centenas de anos. É um poderoso aliado para prevenir ou aliviar os sintomas de doenças como a artrite, Alzheimer, cancro, diabetes, o colesterol elevado, azia, icterícia, problemas  hepáticos e dores menstruais. Pode ser  aplicada topicamente em cataplasmas para reduzir a inflamação e aliviar feridas e cortes.

Gengibre é um rizoma com um sem fim propriedades terapêuticas reconhecidas há milhares de anos. Graças aos seus poderosos compostos anti inflamatórios, os gingeróis, combate inflamações do organismo e proporciona o alívio de doenças como a artrite reumatóide, osteoartrite e enxaqueca crónica. É muito eficaz no alívio de problemas gastrointestinais e melhora a digestão estimulando a secreção de suco gástrico. Tem propriedades antieméticas ajudando a diminuir enjoos e náuseas, tornando-se um grande aliado para grávidas que sofram de enjoos matinais. Estimula o sistema imunitário no geral e as suas propriedades sudoríficas podem ajudar a combater estados febris e a melhorar constipações.

Cayenna deve o seu sabor super picante à sua alta concentração de uma substância chamada capsaicina que tem mostrado ser muito eficaz no alívio da dor das articulações e músculos, na prevenção de úlceras, descongestionamento nasal (óptimo para as constipações!), combater inflamações, ajudando a diminuir os sintomas da artrite reumatóide, osteoartrite e enxaqueca crónica, e estimular o metabolismo e a circulação. No geral a Cayenna é um excelente tónico para o nosso sistema imunitário e estimula vários órgãos como o baço, estômago, rins, coração e pulmões. É também uma óptima fonte de poderosos anti oxidantes, principalmente os beta carotenos que o nosso corpo transforma em vitamina A e que, já sabemos, é essencial para a manutenção de tecidos saudáveis! Como a curcuma, além de ingerida a cayenna também pode ser usada de forma tópica, misturada num bocadinho de creme, para ajudar a tratar psoríase e diminuir dores de articulações ou musculares!



I'm finally back! Two months that flew by at lightning speed, with hard working days that kept me away from here and left me missing you guys so much! And it seems that in the next few months there will be more and more of this moments away... Promise that you'll be there waiting? Pinky swear!

After this long silence there's is nothing better to return than my promised morning ritual! The first thing we do in the morning is super important for our body. After all, while we sleep, he spends the night in long cleansing processes and our role is to help him flush away all the toxins and impurities that he cleaned for us. Can you imagine what he thinks when the first thing we eat is those mega processed sugary cereals?

In Ayurvedic medicine, drinking warm water with lemon on an empty stomach is a practice long used as a very simple and effective way to detoxify the body, and it was a habit that has long accompanied my mornings. Then came the first workshop I did with Sarah Britton, where I learned that spices are much more than seasonings, and since that day my ritual gained a few more exotic stars like Turmeric, Ginger and Cayenne! Now it's a true Golden Elixir (name by Sarah Britton) full of super powers that helps me start the day in the best way.

I could stay here forever talking about the benefits of this simple glass of goodness but I decided to highlight it's key benefits and then present you the exotic super stars one by one: 


1 Helps balance the pH levels of the body . Despite its extremely acidic taste lemons are one of the most alkalizing foods for our body and, as we know, our health is directly related to the body pH level, since diseases such as cancer and inflammatory conditions like arthritis and uric acid can not survive in an alkaline medium. Who remembers those bars to measure pH ? pH is the abbreviation for potential hydrogenionic and 7 is the neutral level, between 8 and 14 is considered to be alkaline (oxygen- rich). The ideal for our body is to keep it in the more alkaline side between 7.30 to 7.45 . All the food we eat has an impact on our levels of pH and someday I promise to do a much more complete article on this subject!

2 Stimulates the immune system and increases metabolism. In addition to its alkalizing properties, lemons are rich in Vitamin C and Potassium while spices increase the body temperature helping it's sudorific and decongestants functions and. Vitamin C is also essential for the absorption of iron, which plays a very important role in the strength of our immune system .

3 Improves the digestive system. Warm water stimulates bowel movements, lemon and spices help to release toxins from the digestive tract and promote the secretion of gastric juices

4 Natural and smooth cleanser. In addition to having a diuretic role, the combination of warm water with lemon and spices helps cleanse organs such as the liver and kidneys whose principal function is to purify our blood.

5 Clears the skin. Vitamin C, as well as all other antioxidants present in the spices, helps diminish wrinkles and blemishes by fighting free radical damage. Vitamin C is vital for a healthy and glowing skin. And all things that  help us detoxify the blood will contribute to a beautiful skin .

6 Potent hydrant proprieties. During the long hours of sleep our body is depraved of any hydrant source, so it is very important that the first thing we do is to drink water and this elixir has the perfect formula to combat dehydration, fight adrenal fatigue and stimulate the lymphatic system. When our bodies are dehydrated they can not perform its most basic functions which leads to the accumulation of toxins, stress , constipation ... Our supra adrenal glands lie right on top of the kidneys and along with the thyroid they help us create energy and are responsible for the release of the hormone that regulates our levels of water and sodium helping us maintain hydration. These small glands are also responsible for controlling our response to stress, so you may want to treat them well and keep them happy!


The superstars!

Turmeric is part of the ginger family and it's yellow powder is widely used as a spice in Asian cooking. It has high concentrations of a substance called curcumin , which has many anti- inflammatory, anti - oxidants , and anti -bacterial. It's called the anti aging spice and its properties are recognized by Ayurvedic and Chinese medicine for hundreds of years. It is a powerful ally to prevent or relieve the symptoms of conditions such as arthritis, Alzheimer's, cancer, diabetes, high cholesterol, heartburn, jaundice, liver problems and menstrual pains. It may be applied topically in poultices to reduce inflammation and relieve wounds and cuts.

Ginger is a rhizome with endless therapeutic properties recognized for thousands of years. Due to their powerful anti-inflammatory compounds, the gingerols, it combats inflammation of the body and provides relief of diseases such as rheumatoid arthritis, osteoarthritis and chronic migraine. It is very effective in alleviating gastrointestinal problems and it improves digestion and stimulate the secretion of gastric juice. Has anti emetic properties helping to reduce sickness and nausea, making it a great ally for pregnant women suffering from morning sickness. Ginger also stimulates the immune system in general and its diaphoretic properties can help fighting fevers and aiding in colds and flu.

Cayenne owes its super spicy taste to its high concentration of a substance called capsaicin which has studied for it's being very effective in relieving the pain of joints and muscles , prevention of ulcers , nasal congestion ( great for colds ! ), combat inflammation , helping to reduce the symptoms of rheumatoid arthritis , osteoarthritis and chronic migraine, and stimulate metabolism and circulation . Overall the Cayenne is an excellent tonic for our immune system and stimulates various organs such as the spleen , stomach, kidneys, heart and lungs. It is also an excellent source of powerful antioxidants , especially beta carotene which our body converts into vitamin A and which , we all know , is essential to maintaining healthy tissues ! Besides ingested Cayenne can also be used topically , mixed with a little cream to help treat psoriasis and lower joint or muscle pain!

Água de Curcuma, Gengibre, Limão e Cayenna

Ingredientes (para 1)

1 copo de Água fresca
1 colher de chá de Curcuma em pó
1 colher de chá de Gengibre em pó
1 pitada de Pimenta Cayenna
1/2 colher de sopa de Sumo de Limão

Preparação

Aquecer a água num fervedor até que fique morna.
Colocar as especiarias num copo e misturar a água, mexendo bem.
Misturar o sumo de limão e beber imediatamente.

A água não deve estar demasiado quente para não destruir as propriedades do limão.


Tumeric, Ginger, Lemon and Cayenne Water

Ingredients (serves 1)

1 cup Fresh Water
1 tsp Turmeric tea powder
1 teaspoon of ginger tea powder
1 pinch of pepper Cayenne
1/2 tablespoon of lemon juice

Directions

Heat water in a kettle until warm.
Place the spices in a cup and mix the water, stirring well.

Mix the lemon juice and drink immediately.

The water should not be too hot as you don't want to to destroy the lemon properties.


Fontes nutricionais aqui, aqui, aqui e aqui :: Nutritional fonts hereherehere and here


sexta-feira, outubro 11

The Last Summer Salad

Please scroll down for English version

Unh-unh, eu sei que já vamos quase a meio de Outubro e que vir para aqui agora falar de últimas saladas de Verão parece um tanto ou quanto descabido. Mas tinha esta aqui guardada para vocês, feita especialmente para a despedida do Verão, mas os dias que se seguiram foram bem farruscos e pareceu-me ainda mais descabido. Depois vieram tempos loucos de trabalho, com um showcooking no Mercado de Sabores pelo meio (ai senhores o palco, palco!), em que não consegui um tempinho para me sentar aqui e a salada lá ia ficando numa da centenas de pastas que habitam o meu computador. Esta semana o Verão trocou as voltas ao Outono e resolveu vir dizer olá outra vez e eu resolvi que enquanto der para vestir calções se pode falar de saladas! Mas tem que ser rápido que andam aí rumores que os dias farruscos vão voltar em força!

Esta salada, como todos as que se fazem cá por casa como refeição, assenta na combinação imbatível de um cereal integral com uma leguminosa que nos fornece proteínas de muita qualidade com todos os aminoácidos essencias. É que as suas composições são inversamente proporcionais, sendo que os cereais são especialmente ricos no aminoácido metionina e as leguminosas em lisina, e quando ingeridos em conjunto complementam-se e dão origem a uma proteína completa! E o mais engraçado é verificar que em todas as culturas do Mundo a alimentação sempre se baseou nesta combinação tão natural! Uff! O que eu vibro com estas coisas!!

Neste caso foi o Bulgur, um derivado do trigo muito usado pelo Médio-Oriente e facílimo de preparar, que se juntou ao Feijão Vermelho, bem robusto. Depois foi só juntar os vegetais havia cá por casa, umas azeitonas em salmoura para aproveitar todas as coisas boas dos fermentados, e uma boa dose de ervas aromáticas para um toque fresco... Eh voilá! Diz que é uma espécie de Tabouleh!


Unh-unh, I know that we are almost in the middle of October and that talking about the last summer salad seems somewhat inappropriate. But I had this one that I really wanted to show you, specially made for the Summer farewell, but the days that followed were quite cold and grey so it seemed even more improper. Then came crazy times with lots of work and I could not find the time to sit and talk about this salad so it kept being forgotten in the middle of the hundreds of folders that live in my computer. This week, Summer tricked Autumn and decided to say hello again and I've decided that while one can wear shorts, it's ok to talk about salads! But it has to be really fast, that rumor has it the days are turning cold and grey again!

This salad , like all the others prepared as a main dish, is based on the unbeatable combination of a whole grain with a legume that provides us with a high quality protein with all essencial amino acids. You see, their compositions are inversely proportional , as cereals are especially rich in the amino acid methionine and legumes in lysine, and when ingested together they complement each other forming a complete protein! And the funny thing is to see that in all cultures of the world, food has always been based on this combination so natural ! Uff ! How I LOVE this kind off knowledge!

In this case the cereal was bulgur, a derivative of whole wheat widely used in the Middle East and really easy to prepare, who joined the robust red beans. Then I just added what ever vegetables I had in the fridge, some brined olives filled with all that fermented goodies, and a good dose of herbs for a fresh touch... Eh voila!


Salada de Bulgur com Pimentos Assados, Feijão Vermelho e Couve Penca

Ingredientes (2 pessoas)
150 g de Bulgur
1 Pimento assado e cortado em tirinhas (usei 1/2 Vermelho e 1/2 Amarelo)
300g de Feijão Vermelho cozido
10 Azeitonas em salmoura, descaroçadas e cortadas
2 folhas de Couve Penca, migadas
2 Tomates maduros, cortados em gomos fininhos
1 Cebola pequena, cortada em rodelas bem fininhas
Sumo e raspa de 1/2 Limão
1 molhinho de Salsa, picada
1 molhinho de Hortelã, picada
Azeite
Sal Marinho
Pimenta Preta na hora

Preparação
Colocar as rodelinhas de cebola numa taça e temperar com o sumo de limão, um fio de azeite, um pouco de sal e pimenta preta.
Enquanto isso colocar o bulgur num tachinho com o dobro da água, temperar com sal e deixar levantar fervura.
Baixar o lume e deixar cozinhar durante 10 minutos bem tapado.
Desligar e deixar repousar mais 10 minutos.
Quando estiver bem frio, soltá-lo com um garfo, misturar com a cebola e juntar todos os outros ingredientes, envolvendo bem.
Rectificar os temperos e finalizar com as raspas de limão e um fio de azeite


Bulgur Salad with Roasted Bell Peppers, Red Beans and Colaard Cabbage

Ingredients (serves 2)
150 g Bulgur
1 roasted Bell Pepper, sliced (I used 1/2 Red and 1/2 Yellow)
300 g cooked Red Beans
10 brined Olives, pitted and sliced
2 leaves of  Collard Cabbage, minced
2 ripe Tomatoes, sliced
1 small Onion, sliced ​​thinly
Juice and zest of 1/2 lemon
1 small bunch of Parsley, chopped
1 small bunch of Mint, chopped
Olive oil
Sea Salt
Black Pepper freshly ground

Directions
Put the onion sliced in a bowl and season with lemon juice, a drizzle of olive oil, a pinch of salt and black pepper.
Meanwhile place the bulgur in a pot with double the water, season with salt and bring to boil.
Lower the heat and simmer for 10 minutes with the lid on.
Remove from the stove and let sit for 10 minutes, still covered.
When the bulgur its cold, loosen it with a fork, mix with the onions and add all other ingredients, combining
Rectify the seasoning and finish with lemon zest and a drizzle of olive oil.

--


O próximo workshop da Miss Vite vai ser de Saladas de Outono!! Dia 26 de Outubro, às 16H00 no Work It. Vai haver muitas ideias bem reconfortantes para comer em casa ou levar na marmita!


terça-feira, setembro 24

Papinhas Cruas de Aveia, Trigo Sarraceno e Chia :: Oat, Buckwheat and Chia Raw Porridge

Please scroll down for English version

Os pequenos almoços cá em casa são sempre de campeão. Sempre fui daquelas pessoas que acordam com apetite e depois do meu religioso copo de água morna com gengibre e curcuma e um toque de sumo de limão e cayena (se quiserem um dia destes falo mais sobre este ritual) sou capaz de jurar que tenho um savana inteira a viver na minha barriga. E como é óbvio não pode ser qualquer coisa a acalmar essa bicharada toda! Sim confesso que houve tempos, em que iludida pela suposta questão prática,  me rendia aos cereais de pacote que invariavelmente me deixavam com fome 10 minutos depois de os comer. Mesmo aqueles que em letras gordas anunciam a todos os cantos do mundo as maravilhas dos cereais integrais! Pois, pois...

Uuuff! Ainda bem que esses dias ficaram para trás e que agora percebo que com um bocadinho de organização podemos demorar quase o mesmo tempo a preparar um pequeno almoço bem mais delicioso, saudável e, para aqueles que também acordam com savanas na barriga, saciante!

Um dos meus pequenos almoços favoritos são estas papinhas cruas, uma adaptação das famosas overnight oats, uma verdadeira bomba de vitalidade, recheada dos nutrientes de todas as suas sementes e cereais a acordarem. Quem se lembra do post sobre os germinados? Agora imaginem uma taça cheia dessas maravilhas! E o melhor de tudo é que são super práticas e podem ser preparadas de véspera, ou até logo a contar com a semana toda, e para os mais apressados ou os que não têm logo fome de manhã, são perfeitas para levar num frasquinho para o trabalho!

São super versáteis e as as combinações de cereais e sementes são quase infinitas. Estas são de Aveia, presença obrigatória nas minhas manhãs, Trigo Sarraceno, umas sementes armadas em cereais, e Chia e foram acompanhadas com os últimos Miritlos do Verão e um suculentos Pêssegos.


As super estrelas

Aveia, um clássico de qualquer pequeno almoço é super rica em fibras o que já sabemos é óptimo para o bom funcionamento intestinal, diminuição dos níveis de colesterol e controlo dos níveis de açúcar no sangue e uma libertação prolongada de energia. Mas é também uma boa fonte de proteína, com a maioria dos aminoácidos essenciais, e de uma série de minerais destacando-se o Manganésio, Selénio e Zinco que em colaboração com os antioxidantes presentes na aveia, protegem as células do corpo do stress oxidativo e contribuem para o normal funcionamento do sistema imunitário e da glândula tiróide e para a saúde do cabelo e unhas.

Trigo Sarraceno, apesar do nome estas sementes triangulares não são sequer da família dos cereais mas sim de uma planta do género do ruibarbo, e por isso, ao contrário do que o seu nome pode levar a pensar, não contém glúten. Nutricionalmente é muito rico em proteínas e tem todos os aminoácidos essenciais, perfeito para vegetarianos e vegans, e magnésio, o mineral fundamental para quem pratica muito deporto, pois tem um papel muito importante no funcionamento e regulação da contracção muscular. Na cozinha é super versátil, adaptando-se muito bem tanto a pratos salgados como a gulodices. Podemos usar tanto a sua farinha para fazer bolos, crepes ou panquecas como as sementes em si... Cozidas para sopa ou papas, ligeiramente tostadas para salpicar desde saladas a sobremesas ou simplesmente cruas e demolhadas como neste pequeno almoço! Tem um sabor muito característico e tenho de admitir que a primeira vez que provei não foi fácil, mas se lhe derem uma hipótese facilmente se torna num indispensável da vossa despensa.

Chia estas minúsculas sementes são a maior fonte de Ómega 3 do planeta, ácidos gordos essenciais para um cérebro e coração saudáveis, reduzindo o risco de acidentes vasculares, problemas cardíacos e Alzheimer. São extremamente ricas em fibras e a sua capacidade em absorver água, formando uma espécie de gel, ajuda a manter a sensação de saciedade por várias horas, libertando energia de forma prolongada, para além de facilitar o trânsito intestinal e melhorar a digestão.
































Breakfasts around here are always worthy of kings and queens. I have always been one of those people who wakes up with with appetite and after my religious glass of warm water with ginger, turmeric and a touch of lemon juice and cayenne (if you want i can speak more about this ritual) I can swear that I have a whole savanna  living in my belly. And, obviously, I have to take really good care of all of those wild creatures!! Yes I confess that there were times in which, deluded with the alleged practical matter, I used to surrender to the box cereals which invariably made ​​me hungry 10 minutes after eating them. Even those that in bold print advertised to all corners of the world the wonders of whole grains! Yeah right...

Uuuff! Thankfully those days are over and now I realize that with a little organization we can take almost as long to prepare a breakfast and that is more delicious, healthy, and for those who also wake with savannas in the belly, satiating!

One of my favorite breakfasts are these raw porridges, an adaptation of the famous overnight oats, a bombshell of vitality, full of nutrients of all the wakening seeds. Remember the post on sprouting? Now imagine a bowl full of those wonders! And the best of all, is that they're super practical and can be prepared in the evening before, or even for all week, and for those in a hurry or that just don't wake up feeling hungry, they are perfect to take to work in a glass flask!

They are very versatile and the combinations of cereals and seeds are almost endless. These are of Oats, a mandatory presence in my mornings, Buckwheat, some seeds armed in cereals, and Chia and they were accompanied with the last summer Blueberries and juicy Peaches, but feel free to flow with you imagination! 


The superstars

Oats, a classic of any breakfast, are super rich in fiber which we already know is great for our bowel function and to help decrease the cholesterol levels, control blood sugar levels and giving us a prolonged release of energy. But it is also a good source of protein with essential amino acids, and a variety of mineral specially manganese, selenium and zinc that in conjunction with the antioxidants present in oats protect our body cells against oxidative stress and contribute to the normal functioning of the immune system and thyroid gland and to the health of hair and nails.

Buckwheat, despite its name these triangular seeds are not even the family of cereals but from a plant of the genus rhubarb, and so, contrary to what its name might give the impression does not contain gluten. Is nutritionally rich in protein and has all the essential amino acids, perfect for vegetarians and vegans, and magnesium, the mineral essential for those who practice very deport as it has a very important role in the functioning and regulation of muscle contraction. In the kitchen is super versatile, adapting well to both savory dishes as delicacies. We may use both your meal as the seeds themselves ... Cooked in soup, lightly toasted to splash from salads to desserts or just raw and soaked as this breakfast! It has a very distinctive taste and I have to admit, the first time I tasted it was not very easy, but if given a chance it easily becomes indispensable in your pantry.

Chia, these tiny seeds are he major source of Omega 3 on the planet, fatty acids essentials for a healthy brain and heart, reducing the risk of strokes, heart disease and Alzheimer's. They are extremely high in fiber and its ability to absorb water, forming a sort of gel, helps maintain the feeling of satiety for several hours, releasing energy for a prolonged period, and improves the intestinal health.



Papinhas Cruas de Aveia, Trigo Sarraceno e Chia

Ingredientes (4 a 6 doses)

170 g de Aveia, em grãos
170 g deTrigo Sarraceno
85 g de Sementes de Chia
10 Amêndoas
2 Tâmaras Medjool, sem caroço
1/2 colher de chá de Pasta de Baunilha
Água para demolhar


Preparação

Em tacinhas separadas colocar a aveia, o trigo sarraceno, a chia e as amêndoas de molho entre 2 a 8 horas. (com a chia colocar água só até cobrir).
Descascar as amêndoas, escorrer bem a água da aveia e do trigo sarraceno e colocar num processador de alimentos.
Juntar o gel que entretanto se formou com as sementes de chia, a baunilha e as tâmaras medjool.
Bater até obter um puré e se necessário ir acrescentando água.
Servir com os toppings favoritos
Pode-se guardar no frigorífico num recipiente de vidro por 3 a 4 dias.

Ideias para os Toppings

Fruta fresca
Coco em lascas
Pepitas de chocolate
Cacau
Frutos Secos
Bagas Goji
Manteigas de Frutos Secos (Avelã, Amendoim, Amêndoa...)
Sementes tostadas (Abóbora, Girassol, Sésamo...)
Polen
Canela
Mel / Agave / Xarope de Ácer


Oat, Buckwheat and Chia Raw Porridge

Ingredients (serves 4 to 6)

170 g Oat groats
170 g Buckwheat groats
85 g Chia Seeds
10 Almonds
2 Medjool Dates, pitted
1/2 tsp Vanilla Paste
Water for soaking

Directions

In separate bowls soak oats, buckwheat, chia seeds and almonds  from 2 to 8 hours (with the chia seeds put water just to cover).
Peel the almonds, drain the water of the oat and buckwheat groats and place in a food processor.
Add the chia seeds gel, vanilla and medjool dates.
Beat until a puree, adding water if needed to go.
Serve with your favorite toppings.
Can be kept in the fridge in a glass container for 3 to 4 days.

Ideas for Toppings

Fresh Fruit
Coconut chips
Chocolate chips
Cacao
Nuts
Goji Berries
Nut Butters (Hazelnut, Peanut, Almond...)
Toasted Seeds (Pumpkin, Sunflower, Sesame ...)
Bee Polen
Cinnamon
Honey / Agave / Maple Syrup


Fontes nutricionais  daqui e daqui :: Nutricional info from here and here